Cansada de plantões de 36 horas em hospitais, farmacêutica vai para a Farmácia Estética

Como médicos e enfermeiros, os farmacêuticos também sofrem com plantões hospitalares. A Farmácia Estética permite mais flexibilidade.

A Vitória Ribeiro é uma farmacêutica de Goiânia (GO). A história dela se parece com a de muitas pessoas que começam a trabalhar na saúde e notam que a rotina pode ser bem mais cansativa e intensa do que se imagina. Agora, ela se especializou no Curso de Farmácia Estética.

Ao atuar na área estática, que é uma das que mais crescem no mundo, a Vitória pretende ter mais flexibilidade na sua rotina de trabalho. Ao observar a carreira de uma amiga farmacêutica de sucesso, notou que esse caminho também poderia dar certo para ela.

O problema é que nem sempre é fácil mudar de área, pensar em uma nova carreira e deixar de lado um ambiente comum de trabalho, como é o hospital. Só que depois de ficar fazendo plantões por 36 horas, ela decidiu que precisava ter coragem para mudar. E ela teve!

Os plantões intermináveis de quem trabalha em hospitais

Em um hospital, médicos e enfermeiros possuem plantões de trabalho intermináveis ou escalas, sendo que ambos já indicam uma rotina bastante intensa. O que pouca gente se lembra é que outros profissionais da saúde também sofrem com isso, como os farmacêuticos.

A Vitória Ribeiro viveu essa situação na pele. E você vai entender tudo isso daqui a pouquinho. Antes disso, leve em conta que a escolha dela pelo Curso de Farmácia se deu de forma natural porque ela sempre gostou muito da área da saúde.

Em determinado momento, até chegou a ficar com dúvida entre Farmácia ou Odontologia. Mas, a farmácia falou mais alto e em 2017 ela se formou nessa graduação. Logo em seguida, começou a atuar dentro de um hospital e foi aí que começaram os plantões.

A escolha por trabalhar em hospital já havia acontecido desde a faculdade e ela nem pensava ainda na Farmácia Estética. “Eu me simpatizei pela área hospitalar dentro da graduação e o meu primeiro emprego foi em um hospital de urgência e emergência de Goiânia. Eu gostei e me apaixonei pela área”.

O problema veio logo em seguida porque ela foi notando que a rotina era muito desgastante. “Eu cheguei um momento da minha vida que eu fiz 36 horas seguidas de plantão no hospital. Então, basicamente, eu dormia em casa só 14 noites dentro de um mês”.

A consequência foi péssima. “Isso foi me levado a um desgaste emocional, corporal e foi quando eu decidi tomar outros rumos na minha vida”. Muitos profissionais da saúde passam por isso, como a Railda Aires.

A mudança de carreira em busca de rotinas mais flexíveis

O próximo passo foi o de repensar a sua carreira, mas não necessariamente a sua profissão. A boa notícia é que ela conseguiu encontrar uma escala de trabalho que acontece no chamado “horário comercial”. Então, hoje em dia ela atua das 8 horas até as 18 horas.

Só que ainda assim, ela não estava feliz e viu que havia uma área que poderia ser interessante, a da Farmácia Estética. “Eu tenho uma colega farmacêutica muito bem-sucedida que formou nessa mesma Pós-Graduação”.

Dessa forma, a Vitória Ribeiro diz que foi atrás da mesma instituição que a amiga fez a especialização porque ela sabia que poderia alcançar resultados incríveis. “Eu procurei já com o intuito de mudar a minha trajetória e a minha carreira”.

A farmacêutica esteta, que até então não tinha essa especialidade, notou que em pouco tempo poderia ter o certificado do curso e começar a atuar de forma autônoma e empreendedora nessa área. Por isso, iniciou a Pós-Graduação em Farmácia Estética.

Farmácia Estética

Eu gosto mais da área facial, como os preenchimentos. Eu vejo lá na frente fazendo atendimentos faciais. Como a minha rotina é bem corrida, eu dei preferência para fazer as aulas teóricas primeiro para quando tivesse mais tranquilo iniciasse as práticas”.

O primeiro passo para o sucesso da farmacêutica esteta

É um passo de cada vez. É o início. Ninguém chega ao sucesso sem dar o primeiro passo”.

A Farmácia Estética foi o primeiro passo da Vitória para se chegar ao sucesso na profissão. Além disso, a busca por uma rotina que fosse mais flexível, também traz para ela a esperança de empreender e ter o próprio negócio.

Eu tenho gostado muito das aulas da Pós-graduação. Estou apaixonado pelo que a estética proporciona. Espero que me abra muitas portas”.

Para o futuro, ela sabe que terá que enfrentar desafios. Mas, diz que tem coragem para isso. Afinal, ela viveu na pele o que é trabalhar em plantões intermináveis de hospitais e passar noites fora de casa. Agora, em um futuro próximo, ela quer colher outros frutos da profissão.

Eu acredito que ninguém começa de cima. A gente tem que começar sempre de baixo. Então, o intuito é eu trabalhar na área hospitalar de segunda à sexta e aos finais de semana começar a atender na área de estética”.

Aos poucos, a ideia é se tornar uma farmacêutica independente. “Até que eu consiga conquistar uma carteira de pacientes e possa sair do hospital, que exige muito da gente. Eu quero ter minha autonomia e crescer na área da estética. Estou crente que vai dar certo”.

Outras histórias inspiradoras de farmacêuticas

Alessandra da Silva Bernardo queria ficar mais tempo com a família. Ela que é farmacêutica viu vantagens na estética. ““Eu achei bem interessante esse método, porque eu consegui fazer toda a parte teórica e agora agendar as práticas”.

Ezequiel Rodrigues Lima se aposentou como farmacêutico. E foi aí que percebeu que a estética é uma área que permite um trabalho mais flexível e mais rentável. Depois de 35 anos da graduação, ele não parou no tempo e se especializou.

Prisciane Gualberto até que tentou. Só que depois de 7 anos em uma drogaria comercial e mais alguns meses em na farmácia pública, ela viu que estava no lugar errado. Conheceu a Farmácia Estética e não pensou duas vezes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2022 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - TERMOS DE PRIVACIDADE                        Feito pelo Grupo Puga&Nunes ❤