Farmacêutica Esteta encontrou na estética “trabalho confortável” e “retorno financeiro”

A farmacêutica esteta que é personagem do texto de hoje diz que precisou de um impulso da vida para sair da zona de conforto. Entenda tudo!

Existem momentos na vida em que parece que nada faz sentido. Muita gente diz que é o fim do poço. Só que eles exigem muita coragem e determinação. É nessa hora que muitos profissionais notam a força que possuem. A farmacêutica esteta que você vai conhecer abaixo passou por isso.

De momentos difíceis na vida pessoal, ela notou que poderia dar a volta por cima. Assim, encontrou na Farmácia Estética uma chance incrível de sair da sua zona de conforto. Hoje, não se arrepende. Mais do que isso, diz que encontrou um trabalho confortável e com retorno financeiro.

A jornada de trabalho de um farmacêutico

O plantão de farmácia é uma das formas mais comuns que esses profissionais possuem para contabilizar e registrar as suas horas de trabalho. No nosso país, é comum que eles sejam de 12 horas em um único dia. É a famosa escala 12 x 36.

Para quem é recém-formado, em um primeiro momento, isso pode não parecer problema algum. Afinal, é durante o dia a dia que as pessoas vão aprender tudo sobre a profissão e adquirir a experiência que o mercado de trabalho exige.

No entanto, para muitos farmacêuticos, a larga escala pode se tornar um problema maior no futuro e foi isso o que aconteceu com a Neide Almeida de Macedo. Para ela, a melhor saída foi buscar uma especialização que permitisse horários mais flexíveis e retorno financeiro maior.

O começo da história da farmacêutica esteta

Vamos dar um passo atrás e entender como tudo começou. Essa parte é importante porque com certeza você vai se identificar com ela. A Neide sempre gostou muito da saúde e tinha certeza que iria estudar em cursos dessa área.

Tanto é que após sair do ensino médio, começou a estudar as opções do mercado e chegou à conclusão de que faria a graduação de enfermagem ou farmácia. “Eu optei pela farmácia justamente porque eu já estava trabalhando em uma farmácia naquela época”.

E isso tem mais de 10 anos, ela lembra. Então, entrou na faculdade Farmácia. Após o curso, a Neide já imaginava o que aconteceria, afinal, já estava inserida no mercado de trabalho. E o resultado foi esse mesmo. Porém, ela se acomodou: “O tempo foi passando e eu continuava sempre ali – do mesmo jeito”.

A mudança de vida e a pós em estética

A farmacêutica esteta conta que tem duas filhas e se mudou para fora. Mas, a grande virada de chave veio com o término do relacionamento, que estava perto de completar duas décadas. “Aí foi quando eu precisei virar a chavinha”. Ela se emociona com a recordação.

farmacêutica esteta

Mais do que isso, a Neide conta uma situação que é comum a muitas mulheres. “Você precisa se reerguer e sair do fundo do poço. E eu pensei: ‘preciso fazer alguma coisa’. Foi nesse momento que eu decidi ir para a estética e eu não me arrependo nenhum pouco disso”.

A profissional abre o jogo ao dizer que precisou passar por essas mudanças na vida para tomar decisões que realmente trariam sentido na profissão dela. “Eu vi que precisava fazer alguma coisa diferente e que eu me sentisse bem”.

A escolha da área da estética

Com esse enredo, uma pergunta que você, leitor ou leitora, pode estar se fazendo é: por que a Neide escolheu a área da estética para se especializar e não outra? Ela tem uma explicação para isso, que passa por questões de gosto pessoal e finanças. Veja!

Eu precisava de alguma coisa na qual eu me sentisse confortável em fazer aquele trabalho e que tivesse algum retorno também. Por ter duas filhas, preciso de tempo para poder cuidar delas. E trabalhando em farmácia, de domingo a domingo, isso é bem difícil”.

Outro ponto a ser considerado na visão da farmacêutica esteta, quando o profissional da saúde começa a trabalhar com a estética é possível ver um retorno direto, que é aquele que demonstra a alegria das pacientes a partir dos resultados dos procedimentos que foram feitos.

É um retorno de mão dupla: você consegue trazer melhora de autoestima para a pessoa e consegue se sentir bem porque é algo que realmente gosta de fazer. Porque independente do seu retorno financeiro, gostar do que se faz é muito importante”.

É preciso coragem para mudar!

Todo mundo que está passando por uma fase difícil na vida ou que quer crescer na carreira pode observar que existem momentos que não acontecem por acaso. Eles servem como impulsos para essa virada de chave, que foi o que aconteceu com essa farmacêutica esteta.

Trabalhar em farmácia não é fácil. É de domingo a domingo. A gente tem os plantões, que é de 12 horas por dia. É bem cansativo. Não é fácil. Então, para a gente que é farmacêutico e trabalha no balcão de farmácia, que tem família e filhos pequenos, é bem puxado”.

Por outro lado, há caminhos alternativos que podem ser menos tortuosos na profissão. “Hoje, eu consigo fazer alguns procedimentos. Botox, preenchimento, mesoterapia e dermoterapia. Ou seja, são procedimentos que faço regularmente em atendimentos particulares”.

A farmácia após os 40

Outra história que vale a pena conhecer é da Neife Ferreira. Ela passou boa parte da vida comandando uma farmácia de manipulação até que decidiu empreender por conta própria, se tornando uma farmacêutica esteta. “O interesse pela estética avançada foi surgindo aos poucos e assim nasceu a clínica de estética”.

A estética que transforma vidas

No caso da Cristianne Rodrigues dos Santos, a motivação que ela teve para fazer a pós-graduação em estética foi a busca pelo tempo. Isto é, ela queria ter mais tempo para ficar com a família e encontrou nessa especialização, a melhor resposta. Conheça a história toda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2022 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - TERMOS DE PRIVACIDADE                        Feito pelo Grupo Puga&Nunes ❤