Enfermagem Estética: a profissão que possibilitou a Dra. Patrícia construir sua família

Por 14 anos, a área da oncologia fez parte da vida da Dra. Patrícia. Após decidir se especializar em Enfermagem Estética, teve mais tempo com a família.
enfermagem estética

Por 14 anos, a área da oncologia fez parte da vida da Dra. Patrícia de Souza, pós-graduanda em Enfermagem Estética

Além da rotina exaustiva, pois a enfermeira atuava tanto nos cuidados dos pacientes quanto nas operações, como cirurgias de cabeça e pescoço, transplantes, ainda tinha que lidar com o peso da enfermagem oncológica: a possibilidade de perder pacientes. 

“Por mais gratificante que fosse ver a cura, porque também tinha, você tratava e via uma ferida de muito tempo fechando, via o paciente se recuperando… mas você também via as perdas. Querendo ou não, é um tratamento longo, em muitos casos, e a gente cria contato e acaba se envolvendo na história. Isso nunca foi fácil”, diz a pós-graduanda.

Lidar com essas questões fora do trabalho também não era uma tarefa fácil. Mas isso não era um problema para a Dra. Patrícia. A busca pela mudança só iniciou quando ela decidiu que queria construir uma família. 

Conheça mais a história da Dra. Patrícia Souza, que deixou anos de dedicação à oncologia e decidiu trilhar sua jornada profissional na Enfermagem Estética.

Um sonho se tornando realidade: o encontro com a Enfermagem Estética

Quando a Dra. Patrícia decidiu construir sua família, não sabia dos desafios que viriam. Após várias tentativas de engravidar, ela descobriu que teria que fazer alguns tratamentos de fertilização. 

Até conseguir engravidar, se passaram 12 anos, e nesse período, muita coisa mudou na vida da enfermeira. Ela, que antes pensava em conciliar seus plantões exaustivos dentro da oncologia com os cuidados com seu filho, viu que na rotina que já conhecia seria inviável.

“Foram 12 anos de tratamento e ai quando eu ganhei o bebê, tudo mudou. É aquilo, você quer ficar com ele, quer cuidar. E quando lembrei que teria que sair pra trabalhar, de todo o tempo que ficaria fora, comecei a pensar, ‘quem vai cuidar dele? Quem vai ficar com ele? Outra pessoa? Como vou fazer isso?’ E foi ai que tudo mudou, já não conseguia mais trabalhar e pedi a demissão.”

Depois de sair do emprego, a Dra. Patrícia resolveu empreender na área da saúde, mas não teve muito resultado. Com a pandemia, a situação mudou e o seu negócio estagnou. Vendo sua vida mudar drasticamente e ainda, cuidando de seu filho, ela começou a se sentir mal, desmotivada, sem expectativas, esperanças e autoestima. 

Foi nesse momento que conheceu a Estética. Como não se sentia bem e não queria se cuidar, foi convencida a fazer alguns procedimentos para tentar elevar a sua autoestima e deixar motivada a continuar na luta pelo seu empreendimento. E foi assim que a sua vida se transformou. 

“Como até a minha autoestima estava baixa, fui fazer alguns procedimentos no rosto. Assim que acabou a sessão, eu era outra pessoa. E foi assim que percebi que trabalhar na área da Estética era o que eu queria, poder devolver a autoestima, o bem-estar, a felicidade para meus pacientes.”

Mas a Dra. Patrícia não sabia que poderia se especializar na área com a pós-graduação em Enfermagem Estética. Ela apenas descobriu essa especialização depois de um tempo, quando voltou a fazer procedimentos estéticos. 

“Uma amiga que me falou. Ela também é profissional esteta, formada pelo Nepuga, e me indicou a Instituição. Parece que foi um recomeço, porque eu tinha acabado de me mudar para Campinas, soube da especialização, do lugar que poderia fazer minha pós-graduação e claro, seguir com o que eu sempre sonhei: família e carreira.” 

A flexibilidade de horário dentro da Enfermagem Estética

A decisão de sair da área da oncologia foi justamente pela jornada exaustiva e pelo pouco tempo que teria para se dedicar à sua família e seu filho. 

Depois de procurar mais informações sobre a Enfermagem Estética, a Dra. Patrícia descobriu que essa era a profissão certa para ela. A flexibilidade de horários era o que procurava para poder continuar trabalhando e ainda, ter tempo para ver seu filho crescer. 

“Era tudo o que eu estava procurando. E ainda tinha os outros benefícios, claro. Você pode fazer o seu horário e ter um bom retorno financeiro, mas não foi o que fez eu decidir começar a pós-graduação em Enfermagem Estética. Acredito que quando você se dedica, faz tudo com amor e com carinho, o retorno vem, mas o primeiro passo é querer”. 

Seguindo as recomendações de sua amiga, ela procurou mais sobre o Nepuga e descobriu que a IES é pioneira na área da Saúde Estética. Mas outra coisa chamou sua atenção e fez iniciar a especialização. 

“Como estávamos no início da pandemia, eu vi que teve uma mudança estrutural no Nepuga e migrou para o digital. Mas era diferente das outras instituições, porque tinha aulas ao vivo, tinha como tirar dúvidas com professores, eu tinha suporte. E o melhor era que podia iniciar naquele momento a pós-graduação em Enfermagem Estética, enquanto cuidava do meu filho.”

Mudança de profissão: o suporte acadêmico e a vivência clínica no Nepuga 

A Dra. Patrícia falou muito sobre o suporte que o Nepuga ofereceu a ela. Como veio de outra área, nunca teve contato com a Estética, apenas com os procedimentos que recebia. Mas não ter conhecimento e estar longe das salas de aulas há anos não impediu a enfermeira de se desenvolver dentro da Enfermagem Estética. 

“No início eu dei minha cara a tapa e fui. Mesmo com todo suporte que recebia na parte online, eu tinha medo de fazer os procedimentos. Ficava pensando em como seriam as aulas práticas, que poderia não conseguir, que poderia não ter auxílio dos colegas. Quando eu cheguei, foi tudo diferente. As meninas ajudam muito, a RT (responsável técnica) me ensinou muito. Hoje, já tenho mais segurança para realizar os procedimentos”, comenta.

Descobriu durante as aulas práticas que pode não apenas atuar na área da Enfermagem Estética, mas ampliar o seu campo, mesclando procedimentos da Saúde Integrativa. Entretanto, o que mais chamou a sua atenção foi a facilidade de abrir o seu próprio negócio. 

“Sempre quis empreender e agora vou poder ter o meu próprio negócio. Sem falar que aqui, o networking é muito bom. As meninas [outras pós-graduandas] já me chamaram pra abrir clínica, para fazermos parceria… estou bem animada!”

Expectativas e planos para o futuro na Enfermagem Estética

Por enquanto, a Dra. Patrícia Souza não está atuando. Os seus planos para o futuro é de finalizar a vivência clínica, ter mais segurança para fazer os procedimentos e, só então, começar a atuar na área. 

“Em breve, pretendo já abrir a minha clínica, ainda não sei se em parceria ou não, mesmo com vários convites. Mas quero colocar um tempo determinado do meu dia para atender e um tempo para ficar com o meu filho, que é o que a Enfermagem Estética me permite.” 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Noticias
enfermagem estética
17 de janeiro de 2022

Enfermagem Estética: Dra. Mariane Caldeira se encontra na estética e já atua em sociedade

Enfermagem Estética - Dra. Adriana Costa Bessa
12 de janeiro de 2022

Enfermagem Estética: Dra. Adriana muda de área para preservar sua saúde

biologia estética
10 de janeiro de 2022

Biologia Estética: Dra. Fabiola encontra alegria ao promover bem-estar para as pessoas

enfermagem estética
7 de janeiro de 2022

Enfermagem Estética: a flexibilidade de horário que permitiu a Dra. Talita cuidar de seu filho


  • Administração
  • Gestão Hospitalar
  • Nepuga
  • Ana Carolina Puga
  • Contato
  • Tutoriais
  • Portal do Aluno
  • Portal do Docente
  • Normas Docente
  • Regimento
  • Editais
  • Ouvidoria